Uma parte considerável de Florianópolis ainda têm a necessidade de tratar seu esgoto individualmente por conta de algumas das redes de tratamento de esgoto da CASAN estarem inoperantes ou pela falta do sistema em algumas regiões. Para manter a integridade do solo, especialmente do lençol freático e da vegetação, o emprego de um sistema de tratamento eficiente (fossa, filtro anaeróbio e sumidouro) é indispensável. Mas afinal, você conhece esses componentes tão importantes?

Basicamente, este sistema precisa ser composto por três tanques, o primeiro através do qual os dejetos e a água são depositados, o segundo, onde a filtragem acontece, e o terceiro, onde os efluentes tratados são lançados de volta à natureza.

A primeira etapa do sistema individual de tratamento de esgoto acontece na fossa séptica, onde acontece a coleta dos dejetos. O primeiro processo se chama decantação. Neste momento a gravidade faz a função de separar os líquidos dos sólidos. Os dejetos sólidos ficam depositados no fundo do tanque, formando o que é chamado de “lodo”. O que é sólido não consegue passar pelo cano para a segunda etapa enquanto não for tornado em lodo, que então é absorvido até o tanque de filtragem (filtro anaeróbio). O sólido, o líquido e o gasoso são separados e neutralizados para a próxima etapa.

Em seguida, o encanamento da fossa séptica dá direto no fundo falso do segundo tanque, o chamado filtro anaeróbio, que leva esse nome por ali não haver a atividade molecular que se alimenta de oxigênio, mas funciona através da força da gravidade, porque sobre o fundo existe uma camada de pedras de brita, e no caminho que o lodo faz, é literalmente filtrado pela compressão das pedras até chegar no cano que dá para o sumidouro.

O sumidouro é uma das soluções mais comuns empregadas na finalização dos tratamentos de esgoto, oferecendo uma opção barata e prática para o tratamento dos efluentes. Na terceira etapa do tratamento a água, que já foi bem filtrada, precisa ser dispensada, e isso acontece de diferentes maneiras, de acordo com a permeabilidade do solo, nível de filtragem e disposição de encanamentos. O sumidouro é munido de um fundo aberto, coberto com areia e cascalho, que fazem uma última filtragem lenta antes que a água seja devolvida, já tratada, ao solo. Não é incomum que haja furações nas laterais do sumidouro também, para auxiliar na dispersão da água tratada.

Por ser um sistema que lida com dejetos perigosos, é preciso ter uma série de recomendações para a montagem e instalação do sistema de tratamento individual de esgoto. A primeira e mais importante dica é sempre contar com profissionais capacitados para o dimensionamento dos mesmos, por isso a Moray Engenharia está aqui para lhe ajudar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *